Conheça o carro movido à água salgada

Via Atitudes Sustentáveis | www.atitudessustentaveis.com.br

conheca-o-carro-movido-a-agua-salgada

O número de carros no país tem crescido cada vez mais, e hoje já existe um automóvel para cada 4 habitantes. Contudo, apesar de toda a facilidade que esse meio de transporte oferece, ele tem a desvantagem de ser um dos maiores causadores da poluição. E para melhorar um pouco esse quadro, muitas empresas passaram a trabalhar no desenvolvimento de novas tecnologias menos poluentes.

Um exemplo é a companhia nanoFlowCell, que projetou o Quant e-Sportlimousine, apresentado no Salão do Automóvel de Genebra, na Suíça. Esse veículo parece ser apenas mais um modelo esportivo, porém, o que surpreende é o seu combustível: água salgada.
A utilização da água como combustível foi inspirada em uma tecnologia estudada pela Nasa, em 1976, na qual o sistema se baseia em reações de nanocélulas e reações químicas nos quatro motores, localizados nas rodas do veículo. Assim como os carros elétricos, o Quant tem emissão zero de carbono e autonomia de 600 km, fazendo que a bateria não precise ser recarregada todos os dias.

conheca-o-carro-movido-a-agua-salgada-1

E quem pensa que o carro, só porque não usa combustíveis fósseis, não é potente, se engana muito. De acordo com o fabricante, esse automóvel tem potência de 912 cavalos, chegando a 100 km/h em apenas 2,8 segundos, e velocidade máxima de 380 km/h.
Além de todas essas vantagens, o design do veículo também chama atenção, não deixando a desejar em questão de estilo e sofisticação.
O Quant já recebeu autorização para circular pelas ruas da Alemanha e de outros países da Europa. Não há previsão de quando ele poderá ser usado em outras partes do mundo, no entanto, esse já é um grande passo para quem deseja utilizar um veículo movido à energia não poluente e sustentável, contribuindo para a preservação do meio ambiente.

conheca-o-carro-movido-a-agua-salgada-2

E aí, você acha que essa alternativa seria a solução para a redução de combustíveis fósseis?

Postado por: Solixx Soluções Ambientais | www.solixx.com.br

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *