Monitoramento ambiental e medição

Via Brasil Postos

solixx

Respondemos as principais dúvidas de nossos clientes quanto a Instalação de Poços de Monitoramento.

1. Quantos poços de monitoramento devem ser instalados no meu posto de combustível?

O número de Poços de Monitoramento exigido varia de acordo com o órgão estadual ao qual se pretende atender.

No estado de Santa Catarina a Fatma (Fundação do Meio Ambiente) solicita que sejam instalados, no mínimo, 04 poços de monitoramento, sendo obrigatoriamente 01 a “montante” das potenciais áreas fontes de contaminação, com relação ao sentido do fluxo das águas subterrâneas e o restante a “jusante” das mesmas. Entende-se por posição de montante a área de onde vem o fluxo da água subterrânea e posição de jusante, as regiões para onde o mesmo escoa.

Conforme a área do empreendimento e as potenciais “áreas fontes” podem ser necessários poços de monitoramento adicionais, para garantir a qualidade do monitoramento.

No caso de postos de combustíveis, são consideradas potenciais “áreas fonte” além da área de tancagem de combustível e óleo usado, as áreas de bombas de abastecimento, filtro de diesel, troca de óleo, lavagem.

No estado do Paraná, o IAP (Instituto Ambiental do Paraná), a instalação de Poço de Monitoramento somente se faz necessária durante a execução de estudo de passivo ambiental. Em caso de contaminação o poço é mantido para monitoramento, caso contrário os poços devem ser tamponados.

2. Para que serve um Poço de Monitoramento?

Os Poços de Monitoramento servem para avaliar a qualidade das águas subterrâneas nas áreas sujeitas a possível contaminação, por meio da análise de campo (visual, tátil e olfativa) e química laboratorial desta água. Os parâmetros analisados variam de acordo com a atividade e os possíveis contaminantes que a mesma pode gerar.

O Poço de Monitoramento tem também a função de monitorar o nível do aquífero freático.

3. Por que é tão caro a construção de Poço de Monitoramento?

A construção de um Poço de Monitoramento deve seguir as instruções contidas em normas técnicas específicas (NBR-145.492/2007: Sondagens de Reconhecimento para Qualidade de Solo; NBR-15.495/2007 – Parte 1 Poços de Monitoramento de Águas Subterrâneas em Aquíferos Granulares – Construção; NBR-15.495/2008 – Parte 2: Poços de Monitoramento de Águas Subterrâneas em Aquíferos Granulares – Desenvolvimento).

Estas normas determinam inclusive os materiais a serem utilizados. Os tubos devem ter composição conhecida/ controlada, livre de contaminantes; O pré-filtro, que envolve os tubos, deve ter o tamanho específico do grão; O selo sanitário deve ser feito com uso se bentonita, um tipo de argila que expansiva ao contato com a água, para evitar a entrada de contaminantes vindos da superfície.

A instalação dos Poços de Monitoramento deve ser executada por equipe técnica qualificada, sob a responsabilidade técnica de profissional habilitado, mediante a emissão de ART (Anotação de Responsabilidade Técnica).

4. Qual a profundidade de um Poço de Monitoramento?

A profundidade do Poço de Monitoramento é variável e tem como condicionante a profundidade do nível freático.

Usualmente, conforme recomendado pela CETESB (Órgão ambiental do Estado de São Paulo) instala-se o poço de monitoramento com 02 metros de coluna d’água, ou seja, 02 metros abaixo no nível freático, de forma a garantir que haja água suficiente a ser amostrada, inclusive em épocas de baixa recarga do aquífero.

Em caso de não ocorrer o nível freático a profundidade de até 15 metros, o órgão ambiental deve ser consultado, para verificar a possibilidade de instalação de poço para monitoramento de gás.

5. Tenho um poço do lado do outro. Qual a distância correta para a instalação?

Não há determinação da distância correta entre os Poços de Monitoramento, ela varia conforme a área do empreendimento, sentido do fluxo das águas subterrâneas, disposição espacial das potenciais fontes de contaminação existentes na área do empreendimento e existência de contaminação. O número de poços deve garantir o monitoramento de todas as áreas.

6. Qual o equipamento utilizado na construção de um poço de monitoramento?

O tipo de equipamento a ser utilizado na instalação do poço de monitoramento deve ser condizente com a geologia e hidrogeologia locais, devendo atender a norma NBR-145.492/2007: Sondagens de Reconhecimento para Qualidade de Solo. A Oxtar dispõe de trados manual e motorizado para execução das sondagens, são utilizados, conforme o tipo de solo e altura do nível freático e presença de pedras, trados tipo cavadeira, trado helicoidal, trado concha sem e com válvula para retenção de sedimentos arenosos.

7. Poderei continuar com a operação normal no dia da construção?

Para a instalação de Poços de Monitoramento não se faz necessária a paralização da operação do empreendimento. Ocorre o isolamento das áreas específicas onde são realizadas as sondagens para a instalação do poço. As áreas devem permanecer isoladas, obedecendo ao tempo de cura do material usado no acabamento (cimento e concreto).

8. Qual o tamanho da área de isolamento para a construção do Poço de Monitoramento?

A área ser isolada compreende porção afetada pela instalação do Poço de Monitoramento, visando a execução de um trabalho seguro garantindo que a manobra dos equipamentos e materiais utilizados não ofereça riscos aos técnicos executores, bem como para funcionários e clientes do empreendimento.

9. Quanto tempo para a construção de um Poço de Monitoramento?

O tempo para a execução de um Poço de Monitoramento não pode ser determinado com precisão, pois pode variar de acordo com a profundidade do nível freático, do nível de compactação do solo, da ocorrência de pedras, aterro, das condições climáticas, etc.

10. Com chuva é possível fazer a instalação de um Poço de Monitoramento?

A instalação de Poços de Monitoramento em dias chuvosos não é recomendada, uma vez que há interferência na determinação do nível freático, levando à instalação do poço com profundidade errada.

11. O que devo enviar para o órgão responsável para notificar que instalamos um Poço de Monitoramento?

Após a instalação do Poço de Monitoramento é elaborado relatório técnico de instalação de poços, o qual apresenta informações acerca das sondagens realizadas, dos poços de monitoramento instalados, com a determinação das técnicas aplicadas e materiais utilizados, bem como perfis litológicos e construtivos dos poços de monitoramento instalados, acompanhado da ART (Anotação de Responsabilidade Técnica) do geólogo responsável.

12. Por que preciso do Mapa Potenciométrico para a instalação do Poço de Monitoramento?

O mapa potenciométrico não é necessário para a instalação de Poços de Monitoramento. A elaboração do mapa potenciométrico é etapa subsequente à instalação dos Poços de Monitoramento. Ou seja, é necessário que hajam Poços de Monitoramento instalados para a elaboração de um mapa potenciométrico. Anteriormente à instalação é inferido o sentido do fluxo das águas subterrâneas, com base em aspectos como relevo e hidrografia da área.

Após a instalação dos poços de monitoramento é elaborado o mapa potenciométrico, para verificação do sentido real do fluxo de água subterrâneas. Ressalta-se que é necessário pelo menos 03 Poços de Monitoramento, em posição não alinhada, para a elaboração de um mapa potenciométrico.

13. Instalamos um poço e ele está sempre seco. O que faço?

Poços de Monitoramento secos, para medição de vapores podem ser instalados, diante de condições técnicas específicas e orientação de alguns órgãos ambientais.

Pode ocorrer, também, de o Poço de Monitoramento não ter sido instalado em conformidade com as normas técnicas aplicáveis. Por isso, é necessária avaliação da área, da geologia, relevo, hidrografia, bem como da recomendada a documentação dos Poços de monitoramento existentes para saber a razão de estarem secos. Caso haja indícios ou confirmação da ocorrência do aquífero freático na área, é recomendada a reinstalação dos poços de monitoramento, a profundidade que permita a disponibilidade de água subterrânea suficiente para garantir a correta amostragem dos mesmos.

Fonte: Brasil Postos | www.brasilpostos.com.br
Postado por: Solixx Soluções Ambientais | www.solixx.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *